Violeta foi Para o Céu é o melhor filme do Cine Ceará

Violeta foi Para o Céu - pontocedecinema.blog.br

Violeta foi Para o Céu, do chileno Andrés Wood, recebeu os prêmios de melhor filme, roteiro e edição

Violeta Foi Para o Céu, filme do chileno Andrés Wood, que narra a trajetória da cantora chilena Violeta Parra, foi o grande vencedor do XXII Cine Ceará, encerrado na noite desta sexta-feira, ao levar os prêmios de melhor filme, roteiro (Eliseo Altunaga, Rodrigo Bazaes, Guillermo Calderón e Andrés Wood) e edição (Andrea Chignoli).

Do Brasil, A Febre do Rato, de Claudio Assis, ganhou melhor direção e trilha sonora original (Jorge du Peixe), além de receber o Troféu Oscarito da Câmara Municipal de Fortaleza. Graziela Félix foi escolhia melhor atriz por Rânia (Brasil), de Roberta Marques, e Luis Ziembrowski melhor ator por Um Amor (Argentina), de Paula Hernández.

O prêmio de melhor curta-metragem foi para Os Lados da Rua, de Diego Zon, do Espírito Santo. Já a Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema) escolheu como melhor longa o mexicano Prazo de Validade, de Kenya Márquez, e Dia Estrelado (PE), de Nara Normande, melhor curta. Um Amor ganhou o prêmio da crítica internacional.

Veja galeria de fotos dos longas concorrentes no XXII Cine Ceará.

Veja a seguir a lista dos premiados com o Troféu Mucuripe:

Melhor Longa metragem: Violeta Foi Para o Céu, de Andrés Wood
Melhor Direção: Claudio Assis por A Febre do Rato
Melhor Fotografia: Gaizka Bourgeaud por Bertsolari, de Asier Altuna
Melhor Atriz: Graziela Felix por Rânia, de Roberta Marques
Melhor Ator: Luis Ziembrowski por Um Amor, de Paula Hernández
Melhor Roteiro: Eliseo Altunaga, Rodrigo Bazaes, Guillermo Calderón e Andrés Wood por Violeta Foi Para o Céu, de Andrés Wood
Melhor Edição: Andrea Chignoli por Violeta Foi Para o Céu, de Andrés Wood
Melhor Trilha Sonora Original: Jorge Du Peixe por A Febre do Rato, de Claudio Assis
Melhor Som: Nerio Barberis e Santiago Arroyo por Prazo de Validade, de Kenya Márquez
Melhor Direção de Arte: Juan Carlos Azevedo por Em Nome da Filha, de Tania Hermida

Júri oficial consituido por Alberto Durant (Perú), Nelson Wainstein (Uruguai), Ana Maria Bahiana (Brasil), Irma Dulmers (Holanda) e Alexis Grivas(Grecia)

Melhor Curta-metragem: Os Lados da Rua, de Diego Zon (ES)
Melhor Direção: Roberval Duarte por Santas (RJ)
Melhor Roteiro: Luiza Favale, Marcus Vinicius Vasconcelos, Nádia Mangolini e Vanessa Reis por Realejo (SP)

Melhor Produção Cearense: Querença, de Iziane Filgueiras Mascarenhas

Troféu Oscarito (Prêmio da Câmara Municipal de Fortaleza): Claudio Assis por A Febre do Rato
Prêmio BNB (melhor filme com temática nordestina). Rânia, de Roberta Marques

Prêmio da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine): Pelo roteiro engenhoso, pela evolução do arco dramático e pelo homogêneo trio de protagonistas, o prêmio da crítica de melhor longa vai para

Longa : Prazo de Validade, de Kenya Márquez (México)

Pela combinação rigorosa entre técnica e discurso, pelo diálogo feliz da fotografia com as artes plásticas, o prêmio de melhor curta vai para:

Curta.: Dia Estrelado, de Nara Normande (PE)

Prêmio da Crítica Internacional: Um Amor, de Paula Hernández (Argentina)