Road movie embalado por canções de Roberto Carlos, À Beira do Caminho é um filme em linha reta

À Beira do Caminho - pontocedecinema.blog.br

João Miguel e Vinicius Nascimento em À Beira do Caminho, um filme de estrada dirigido por Breno Silveira

A linha que corta o topo do letreiro, no início dos créditos, indica logo: estamos diante de um filme que segue em caminho reto. Breno Silveira, diretor de 2 Filhos de Francisco, mostra que não está aí para riscos nem complicações.

Principal estreia da semana, que conta no elenco com com uma dupla em plena sintonia, os baianos João Miguel e Vinicius Nascimento, À Beira do Caminho reza pela cartilha do convencionalismo, até mesmo com excesso de clichês, e certa fragilidade dramatúrgica, mas é um filme simples, que emociona.

Assinala o encontro de um caminhoneiro preso a um passado familiar que o angustia, e o afasta do mundo, com um menino que perdeu a mãe e pega carona meio que forçada em seu caminhão, rumo a São Paulo, para encontrar o pai que supostamente o abandonou.

A narrativa segue sem sobressaltos, costurando flashbacks da vida pregressa do caminhoneiro, em torno de rompimentos envolvendo as personagens interpretadas por Dira Paes e Ludmila Rosa, a canções de Roberto Carlos e frases de carrocerias de caminhões.

A melhor das frases, fora a tradicional e necessária “Mantenha distância”, uma metáfora que nos intruduz ao ânimo do personagem principal, é: “Viver é desenhar sem borracha”. A história de À Beira do Caminho, road movie que nos faz lembrar de Central do Brasil (1998), de Walter Salles, se encarrega de provar o contrário.

Fora o filme de Breno Silveira, não deixem de ver Antonio Conselheiro – O Taumaturgo dos Sertões, produção baiana de José Walter Lima, realizada durante anos, sobre a ‘guerra do fim do mundo’ ocorrida na Bahia no final do século XIX, e Marighella, de Isa Grinspum Ferraz, documentário sobre a trajetória do guerrilheiro (também baiano) Carlos Marighella, ambos os filmes já contemplados no blog.

#Leia a seguir as sinopses, conforme enviadas pelos exibidores, e veja os traileres dos filmes. Para saber mais sobre as estreias e pré-estreias, os filmes que continuam em cartaz, exibições e mostras especiais, além do horário, consulte Em cartaz, ao lado.

ESTREIAS

À BEIRA DO CAMINHO
De Breno Silveira. Brasil, 2011. 12 anos. Com João Miguel, Vinicius Nascimeno e Ângelo Antônio. Para fugir dos traumas do passado, o caminhoneiro João resolve deixar sua cidade Natal para trás e cruzar o país. João vaga por anos, Brasil afora, até que numa de suas viagens conhece o menino Duda, órfão de mãe e que está à procura de seu pai, que vive em São Paulo. Esse encontro faz o caminhoneiro rever seus conceitos sobre a vida e sobre os laços afetivos.

ANTÔNIO CONSELHEIRO – O TAUMATURGO DOS SERTÕES
De José Walter Lima. Brasil, 2012. 14 anos. Com Carlos Petrovich, Bertrand Duarte, Haydil Linhares, Leonel Nunes, Iami Rebouças e Harildo Deda. Líder espiritual e político na vida de Canudos, Antônio Conselheiro ganhou popularidade pelos sertões do Nordeste brasileiro graças também à religiosidade da população e o descaso dos governantes. De discurso forte e popular, ele despertava paixão dos fiéis e a ira dos coronéis, que o consideravam uma ameaça aos seus interesses.

A TENTAÇÃO (The Ledge)
De Matthew Chapman. EUA, 2011. 14 anos. Com Charlie Hunnam, Terrence Howard, Liv Tyler e Patrick Wilson. Um fundamentalista cristão força um ateu a ficar dependurado no topo de um alto edifício. O fundamentalista dá ao ateu uma hora para escolher entre a própria vida e a vida de outra pessoa, enquanto um policial tenta convencê-lo a descer do topo desse edifício. Sem acreditar na vida após a morte, seria ele capaz de fazer tal sacrifício? Selecionado para a mostra competitiva do Sundance Film Festival 2011.

LOLA (LOL – Laughing Out Loud)
De Lisa Azuelos. EUA, 2011. 14 anos. Com Miley Cyrus, Ashley Greene, Demi Moore, Thomas Jane, Gina Gershon e Douglas Booth. Em um mundo cada vez mais conectado pelas redes sociais, Lola (Miley Cyrus) e seus amigos navegam entre romances e amizades no colégio, enquanto lidam com a dificuldade de manter uma comunicação saudável com os pais.

MARIGHELLA
De Isa Grinspum Ferraz. Brasil, 2011. 10 anos. História do líder comunista e parlamentar baiano, que foi vítima de prisões e torturas, Carlos Marighella. Com narração de Lázaro Ramos, o documentário retrata desde sua juventude na Bahia, seus anos de militância no PCB baiano e nacional, suas prisões na Era Vargas, sua atuação como deputado constituinte, até os violentos anos de repressão militar, quando ele se tornou o inimigo público número um da ditadura brasileira.

PRÉ-ESTREIAS

360
De Fernando Meirelles. Ucrânia/ Áustria/ França/ Brasil. 2011. 14 anos. Com Anthony Hopkins, Jude Law, Rachel Weisz e Maria Flor. Inspirado em La Ronde, clássica peça de Arthur Schnitzler, 360 é uma reunião de histórias dinâmicas e modernas, passadas em diversas partes do mundo. Dirigido por Fernando Meirelles, filme começa em Veneza e passa por Paris, Londres, Rio de Janeiro, Bratislava, Denver e Phoenix. Exibido no Festival de Sundance 2012 e no Festival de Gramado 2012.

A ARTE DA CONQUISTA (The Art of Getting By)
De Gavin Wiesen. EUA, 2011. 12 anos. Com Freddie Highmore, Emma Roberts, Sasha Spielberg e Marcus Carl Franklin. Acreditando na citação que nascemos sozinhos, morremos sozinhos e tudo o mais é uma ilusão, George não vê sentido na vida, na escola ou em sua família. Até que ele conhece Sally, e encontra nela uma razão para ir à escola e fazer amigos. Entretanto, ainda não está pronto para admitir que gosta dela. O diretor da escola e professor de arte apresenta-o a um ex-aluno e artista de sucesso, Dustin, que procura orientá-lo, mas outras distrações começam a vir à tona e ele pode não ser capaz de se formar.

A GUERRA DOS BOTÕES (La Guerre des Boutons)
De Yann Samuell. França, 2011. 12 anos. Com Eric Elmosnino, Mathilde Seigner, Fred Testot, Alain Chabat. É o retorno às aulas. Como todos os anos, os estudantes de Longeverne, liderados por Lebrac, declaram guerra aos de Velrans. Numa dessas batalhas, Lebrac tem uma idéia brilhante: arrancar todos os botões e confiscar os cintos dos presos, para que sejam castigados pelos próprios pais. Adaptação do livro de Louis Pergaud, que se popularizou graças à segunda adaptação cinematográfica, em 1962.

FAUSTO (Faust)
De Aleksander Sokurov. Alemanha, 2011. 16 anos. Com Johannes Zeiler, Anton Adasinsky, Isolda Dychauk. Fausto é um pensador, rebelde e pioneiro, mas também um ser humano anônimo feito de carne e sangue, governado por impulsos internos, cobiça e luxúria. Última parte da tetralogia de Sokurov sobre a natureza do poder, o filme é livremente inspirado em Fausto, de Goethe. Grande vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza 2011.

Outback: Uma Galera Animal 3D (Outback)
De Kyung Ho Lee. EUA/Coreia do Sul, 2012. Livre. Johnny é um coala albino que sempre foi excluído. Sem querer, ele se torna um herói e tem que ajudar os outros animais na luta contra um crocodilo do mal.