Panorâmica no CoisadeCinema: Werner Herzog investiga os limites da criação humana

A Caverna dos Sonhos Perdidos - pontocedecinema.blog.br

Caverna dos Sonhos Perdidos é um filme deslumbrante que transcende o conceito de documentário

O alemão Werner Herzog percorre sempre caminhos pessoais de superação de limites. Desmedido, revela-se em muitos dos seus filmes ficcionais, como Aguirre – A Cólera dos Deuses (1972), em que se inspirou na expedição espanhola enviada no século XVI por Gonzalo Pizarro em busca de El Dorado, na América do Sul, para fazer um ensaio desesperado sobre o homem confrontado em um ambiente hostil.

Em Fitzcarraldo (1981), conta a saga do aventureiro Brian Sweeney Fitzgerald, que se embrenha pela selva em um barco a vapor para construir um teatro de ópera em plena Amazônia peruana. Ele mesmo, Herzog, um destemido – levou equipe e material de filmagem mata adentro, com sua embarcação -, revelou-se, ali, um mestre do gesto insano, dos personagens que lutam pela causa impossível.

Em Caverno dos Sonhos Perdidos, documentario exibido sexta-feira no Panorama, que volta a ser apresentado neste domingo às 15h45min, ele mostra o resultado da expedição que acompanhou, como único autorizado à caverna Chauvet, na França, fechada à visitação, acessível apenas a um grupo de pesquisadores que se dedicam a estudar a arte rupestre encontrada ali.

São leões, bisões, cavalos, mamutes e tigres em profusão pintados há 30 mil anos que permaneceram inéditos até os anos 90, quando a caverna foi descoberta e logo fechada à visitação pública. Filmado em um 3D providencial, Caverna dos Sonhos Perdidos é um filme deslumbrante, que transcende o conceito de documentário para se situar em uma investigação sobre a natureza humana e seu limite (inesgotável) de criação. Agora e desde sempre.

MOSTRAS – O início da programação das mostras competitivas do panorama aconteceu oficialmente ontem, com a exibição de Porcos Raivosos (PE), curta de Isabel Penoni e Leonardo Sette, que transpõe para a tela, em lastro ao mesmo tempo de ficção e documentário, a lenda Kuikuro dos homens transformados em porcos raivosos. E A Anti-Performance (BA), em que Daniel Lisboa, provocador como no início, com O Homem Cordial, leva o conhecido performer baiano Jayme Figura a uma viagem de espanto e apreensão a São Paulo.

O longa Esse Amor Que Nos Consome (RJ), de Allan Ribeiro, fechou a programação. Novamente a ideia de ficção e documentário no relato da ocupação de um casarão abandonado no centro do Rio de Janeiro por dois homens que ali passam a fazer os ensaios de sua compahia de dança. Arte, poesia e humor, por vezes surpreendete em uma atmosfera dominada pela incerteza, contaminam o ambiente agitado pela expectativa de venda do imóvel.

Leia mais:
Panorâmica no CoisadeCinema 1 < Pietà, filme brutal de Kim Ki-duk, deixa público nocauteado

A seguir, veja a programação de sábado e domingo:

SÁBADO (27/10)
ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – GLAUBER ROCHA SALA 1
13h30 – Homenagem à Pornochanchada III
O Império do Desejo, de Carlos Reichenbach. SP, 95′, Cor, 35mm, 1980
Classificação: 18 anos

15h30– Panorama Internacional III
Violência e Paixão, de Luchino Visconti. Itália, 120′, 35mm, 1974

17h45 – Competitiva Nacional II
A Mão Que Afaga, de Gabriela Amaral. SP, 19′, Cor, Digital, 2012
O Duplo, de Juliana Rojas. SP, 25?, Cor, 35mm, 2012
As Hiper Mulheres, de Carlos Fausto, Leonardo Sette, Takumã Kuikuro. PE, 80′, Cor, Digital, 2011
Conversa com os diretores após a sessão.

20h35 – Competitiva Nacional III
Dizem que os cães veem coisas, de Guto Parente. CE, 12’20”, Cor, Digital, 2012
Menino do Cinco, de Marcelo Matos e Wallace Nogueira. BA, 20′, Cor, Digital, 2012
O som ao redor, de Kleber Mendonça Filho. PE, 131′, Cor, 35mm, 2012
Conversa com os diretores após a sessão.

ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – GLAUBER ROCHA SALA 2
18h30 – Panorama Brasil III
A Febre do Rato, de Cláudio Assis. PE, 90′, P&B, 35mm, 2011
Conversa com o diretor após a sessão.

20h30 – Homenagem à Pornochanchada IV
Fuk, Fuk à Brasileira, de Jean Garrett. SP, 80′, Cor, 35mm, 1986
Classificação: 18 anos

CAHL – CENTRO DE ARTES, HUMANIDADES E LETRAS/UFRB
18h30 – Competitiva Baiana II
Entre Passos, de Elen Linth, 10′, Cor, Digital, 2012
Desvelo, de Clarissa Rebouças, 15’10”, Cor, Digital, 2012
Joelma, de Edson Bastos , 20′, Cor, Digital, 2012
Isso não é o Fim, de João Gabriel, 15’30”, Cor, Digital, 2012
Es4escape, de Alexandre Guena, 20′, Cor, Digital, 2012
Conversa com os diretores após a sessão.

20h20 – Competitiva Nacional I
Porcos Raivosos, de Isabel Penoni e Leonardo Sette. PE, 10′, Cor, Digital, 2012
Esse Amor Que Nos Consome, de Allan Ribeiro. RJ, 80′, Cor, Digital, 2012
Conversa com os diretores após a sessão.

DOMINGO (28/10)
ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – GLAUBER ROCHA SALA 1
14h – Panorama Brasil I
Jards, de Eryk Rocha. RJ, 90′, Cor e P&B, Digital, 2012

15h45 – Panorama Internacional II
A Caverna dos Sonhos Perdidos (Cave of Forgotten Dreams), de Werner Herzog. EUA, 90′, Cor, 3D, 2010

17h30 – Competitiva Nacional IV
Pra eu dormir tranqüilo, de Juliana Rojas. SP, 15′, Cor, 35mm, 2011
Luna e Cinara, de Clara Linhart. RJ, 13′, Cor, Digital, 2012
Doméstica, de Gabriel Mascaro. PE, 76′,Cor, Digital, 2012
Conversa com os diretores após a sessão.

20h – Panorama Internacional IV
Os Barcos, de Caetano Gotardo e Thais de Almeida Prado. SP, 23′ Cor, Digital, 2012
Tabu, de Miguel Gomes. Portugal, 118′, P&, Digital, 2012
Após a sessão, conversa com Caetano Gotardo, diretor de Os Barcos, e com Fabiano Gullane e Ivo Muller, produtor e ator de Tabu, respectivamente.

ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – GLAUBER ROCHA SALA 2
17h30– Panorama Internacional III
Violência e Paixão, de Luchino Visconti. Itália, 120′, 35mm, 1974

19h45 – Competitiva Nacional V
Os Mortos-Vivos, de Anita da Silveira. RJ, 20′, Cor, 35mm, 2012
Na Sua Companhia, de Marcelo Caetano. SP, 21′, Cor, 35mm, 2011
Boa Sorte, Meu Amor, de Daniel Aragão. PE, 95′, PB, 35mm, 2012
Conversa com os diretores após a sessão.

CAHL – CENTRO DE ARTES, HUMANIDADES E LETRAS/UFRB
18h10 – Homenagem à Pornochanchada I
Karina, objeto de prazer, de Jean Garret. SP, 84′, DVD, Cor, 1982
Classificação: 18 anos

20h20 – Panorama Brasil III
A Febre do Rato, de Cláudio Assis. PE, 90′, P&B, 35mm, 2011