O Homem Que Não Dormia, um filme para não ser lido pela cartilha do cinema convencional

O Homem Que Não Dormia - pontocedecinema.blog.br

O HOMEM QUE NÃO DORMIA – Visto em primeira mão no CineFuturo, no ano passado, O Homem Que Não Dormia provocou diferentes reações no público. Há quem deteste. Denso, provocador, um cinema pouco afeito a concessões, o filme cumpriu, nesse período, uma jornada por vários festivais no país, dividindo opiniões em certames como a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, a Mostra de Tiradentes e o Festival de Brasília, que deu o prêmio de melhor ator coadjuvante a Ramon Vane. O Homem Que Não Dormia mergulha o público em uma avalanche de situações deflagradas quando várias pessoas de um pequeno vilarejo têm o mesmo sonho envolvendo um barão, que no passado matou a mulher que o traía, e um tesouro escondido, ao mesmo tempo em que chega ao local um misterioso peregrino. Fantástico, nos dois sentidos, o filme se impõe com seus acontecimentos insólitos e referências a obras de Buñuel, Pasolini, Kurosawa e David Lynch, e não deve ser lido pela cartilha do cinema convencional.

Leia mais críticas de O Homem Que Não Dormia.

FICHA TÉCNICA

Diretor: Edgard Navarro
Elenco: Fábio Vidal, Evelin Buchegger, Bertrand Duarte, Ramon Vane, Mariana Freire, Nélia Carvalho, Luís Paulino, Bertrand Duarte, Fernando Fulco, Rui Manthur
Produção: Sylvia Abreu, Edgard Navarro
Roteiro: Edgard Navarro
Fotografia: Hamilton Oliveira
Trilha Sonora: Hamilton Oliveira
Ano: 2011
País: Brasil
Classificação: 18 anos