Nem tudo é apenas Amanhecer entre os filmes da semana

Amanhecer - Parte 1 - pontocedecibnema.blog.br

Bella (Kristen Stewart) e Edward (Robert Pattinson) em Amanhecer - Parte 1, de Bill Condon

Fim de semana abusado. Com metade das salas exibidoras do país e mais de 20 de Salvador ocupadas pela quarta saga dos neovampiros de Crepúsculo, o circuito não dá sinais de cansaço e exibe um catálogo de boas opções no cinema. Amanhecer – Parte 1, que traz o casamento de Bella Swan (Kristen Stewart) e Edward Cullen (Robert Pattinson), portanto, não navega em águas tão tranquilas assim.

Temos a 7ª edição do Festival Internacional de Cinema de Salvador e as estreias. A mais importante, com distãncia, é o último filme dos irmãos Dardenne, O Garoto da Bicicleta, que recebeu o Prêmio do Júri, em maio passado, em Cannes. Duplamente premiados anteriormente no mesmo festival, com a Palma de Ouro – por Rosetta (1999) e A Criança (2005), Jean Pierre e Luc Dardenne são celebrados no mundo inteiro pela rigorosidade bressoniana com que conduzem suas histórias.

O Garoto da Bicicleta - pontocedecinema.blog.br

Thomas Doret e Cécile de France em O Garoto da Bicicleta, filme dos Dardenne premiado em Cannes

Com O Garoto da Bicicleta, impõem um perfil mais otimista à fabula que marca o encontro de um menino (Thomas Doret) abandonado pelo pai e uma cabeleireira interpretada por Cécile de France. A ver obrigatoriamente.

Em um polo mais abrangente, o Festival de Cinema de Salvador continua com uma programação de inéditos e uma mostra espetacular que reúne 11 filmes de Andrzej Wajda. Entre os títulos, uma das obras-primas do cineasta polonês, O Homem de Mármore, ganha exibição hoje (18/11) e domingo.

Entre os inéditos, o destaque de hoje (e de terça-feira) é As Praias de Agnès, autobiografia da cineasta Agnès Varda, diretora do célebre As Duas Faces da Felicidade, que recompõe sua trajetória de criança na Bélgica até a Paris da nouvelle vague de tantos cineastas, inclusive ela e seu marido, o diretor de Os Guarda-Chuvas do Amor, Jacques Demy.

Amanhã, tem a exibição de Isto Não É Um Filme, documentário realizado pelo iraniano Jafar Panahi (em parceria com Mojtaba Mirtahmasb), que retrata sua rotina de condenado a seis anos de prisão no Irã pelo regime de Mahmoud Ahmadinejad. Panahi também está proibido de viajar, de dar entrevistas e realizar filmes durante 20 anos, estado de coisas que tem alarmado a opinião pública internacional, sobretudo parceiros do diretor de O Balão Branco.

No mais, destaco dois filmes que já vi: Caminho Para o Nada, que volta a ser exibido no sábado, e traz de volta ao cinema o cultuado cineasta norte-americano Monte Hellman, há mais de 20 anos sem lançar filmes, e Triâgulo Amoroso, o insólito caso de uma relação de um homem com uma mulher e o marido dela, dirigido por de Tom Tykwer (Corra, Lola, Corra), que ganha nova exibição no domingo.