Feciba inicia temporada de festivais de cinema na Bahia. De 7 a 13 de junho, em Ilhéus

Os Filmes que Eu Não Fiz - pontocedecinema.blog.br

Os Filmes que Eu Não Fiz, de Petrus Pires, sobre Alexandre Robatto Filho, é um dos destaques do festival

O 3º Festival de Cinema Baiano (Feciba), que começa nesta sexta-feira (7), às 19 horas, no Cine Santa Clara, em Ilhéus, com a exibição do longa Cuíca de Santo Amaro, dá início à temporada 2013 de festivais de cinema na Bahia, cujo ponto alto acontece nos meses de setembro, outubro e novembro com a realização do IV Festival de Documentários de Cachoeira – CachoeiraDoc, em Cachoeira, do IX Panorama Internacional Coisa de Cinema, no Espaço Itaú de Cinema Glauber Rocha, e do IX Seminário Internacional de Cinema e Audiovisual – CineFuturo, no Teatro Castro Alves.

É apenas a largada de um calendário a ser definido, que contempla ainda, dentre outros, o Festival Nacional 5 Minutos, a Jornada de Cinema da Bahia, a Mostra Cinema Conquista, o Festival de Cinema Universitário da Bahia, o Cine Capão, o Festival Internacional de Cinema e Vídeo de Arraial d’Ajuda, o Festival Internacional de Cinema de Salvador e a Mostra Universitária Sulamericana de Audiovisual – Musa.

Os eventos se distribuem ao longo do ano pela capital e cidades do interior baiano compondo uma grande maratona para cinéfilos, cineastas, atores, produtores, demais profissionais do cinema e o público em geral.

Escutando Tom Zé - pontocedecinema.blog.br

O músico baiano da cidade de Irará é tema de Escutando Tom Zé, documentário dirigido por Jorge Alfredo

ATUALIDADES – Catorze curtas-metragens integram a mostra competitiva do 3º Festival de Cinema Baiano, selecionados entre 67 inscritos. Um dos destaques do evento é a Mostra Atualidades, que inclui o lançamento no sábado (8), às 14 horas, do curta-metragem Os Filmes que Eu Não Fiz, de Petrus Pires. Filho de Roberto Pires, diretor de Redenção e A Grande Feira, e um obstinado na valorização da memória do pai, Petrus lança agora o olhar para outro pioneiro do cinema baiano, Alexandre Robatto Filho. O curta será exibido juntamente com outros dois filmes restaurados de Robatto, os consagrados Entre o Mar e o Tendal (1953) e Vadiação (1954).

Às 19 horas, será exibido Escutando Tom Zé, documentário dirigido por Jorge Alfredo que mostra o processo criativo do músico baiano, nascido em Irará, com uso de longos planos, que se encaixam em histórias paralelas. A programação contempla ainda a exibição de longas baianos realizados nos últimos anos, como Ritos de Passagem, de Chico Liberato, domingo, às 19h30; Estranhos, de Paulo Alcântara, na segunda, dia 10, às 15h30, e Prá Lá do Mundo, de Roberto Studart, no dia 12, às 19h30.

Água de Meninos – A Feira do Cinema Novo - pontocedecinema.blog.br

Água de Meninos é outro filme em torno do qual se debaterá sobre o cinema baiano

O ator Antônio Pitanga, um dos entrevistados do documentário Água de Meninos – A Feira do Cinema Novo, que será exibido no dia 10, às 19h30, no Cine Santa Clara, conversa com o público e a diretora, Fabíola Aquino sobre a antiga feira destruída por um incêndio, em 1964, e O que é cinema baiano?. Aliás, este é o tema do festival, que estará permeando todos os debates.

O filme traz de volta não apenas a história da maior feira a céu aberto da Bahia como amplia o registro para se tornar uma reportagem sobre as perspectivas em torno das obras realizadas agora na feira que a sucedeu, São Joaquim. Retoma dois filmes do Ciclo Baiano de Cinema que, refletindo as inquiteções da época, profetizaram a destruição que enfim acabou ocorrendo em setembro daquele ano, deixando 1.800 barraqueiros a ver navios.

As imagens de Sol Sobre a Lama (1963), de Alex Viany, e A Grande Feira (1962), de Roberto Pires, percorrem o filme inteiro. Ao mesmo tempo que contrastam, costuram a identidade entre as duas feiras, tendo como fio condutor vários depoimentos.

O debate sobre a diversidade sexual também marca o festival, com a Mostra Sexualidades, que exibirá três curtas sobre transformismo e homossexualidade, reunindo diretores e o público para discutir as produções e seus temas. A programação inclui Da Alegria, do Mar e de Outras Coisas, de Ceci Alves, Desvelo, de Clarissa Rebouças, e Jéssica Cristopherry, de Paula Lice, Ronei Jorge e Rodrigo Luna. A sessão acontece no dia 09 de junho, às 17h30, no Cine Santa Clara.

Mais informações podem ser obtidas no site do Feciba.

Confira lista de curtas selecionados para a mostra competitiva.:

- A Cartomante, de Adriano Big

- A Descoberta, de Ernesto Molinero

- Amém, de Marcus Curvelo

- Arremate, de Rodrigo Luna

- Desterro, de Cláudio Marques e Marília Hughes

- Laje do Céu, de Leonardo França

- Luzir de Antanho, de Ronald Souza

- Menino do Cinco, de Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira

- O Convite, de Geovane Peixoto

- O Menino Invisível, de Murilo Deolino, Danilo Umbelino e Uiran Paranhos

- O Monstro, de Rafael Jardim

- Refluxos, de Matheus Vianna

- Ser Tão Cinzento, de Henrique Dantas

- Veraneio, de Leon Sampaio