Marilyn, Michelle e mais duas ou três coisas sobre famosos que ganharam o duplo no cinema

Michelle Williams & Marilyn Monroe

Não sem glamour, mas com dose alta de carinho e sensibilidade, Simon Curtis despe Marilyn Monroe de seus artifícios, em Sete Dias com Marilyn, ao revelar também os bastidores das filmagens de O Príncipe Encantado (The Prince and the ShowGirl), filme realizado por Sir. Laurence Olivier em 1956.

Em impressionante caracterização, Michelle Williams encarna o mito que morreu há 50 anos. Aquele verão de 56, a atriz de Os Desajustados viveu às turras com a equipe de produção do filme, mas, então casada com o renomado dramaturgo Arthur Miller, dividiu sua atenção com Colin Clark (Eddie Redmayne), o terceiro assistente de direção de Olivier.

Clark era um jovem de 23 anos fissurado em cinema. Entrou meio de gaiato no navio. E décadas depois escreveu sobre o pequeno affair com Marilyn, diário que resultou em livro agora adaptado para o cinema.

Sete Dias com Marilyn é um filme feito com muita afetividade, embora, à primeira vista, do set de O Príncipe Encantado fulgurem apenas labaredas.

Na realidade, Marilyn queria provar que era boa atriz e, além de entrar para o Actor´s Studio, envolveu-se na produção com Olivier, que, por sua vez, não via o Método de Lee Strasberg com bons olhos.

A atriz e o renomado ator de teatro britânico, notabilizado não somente por sua presença no palco, mas por adaptações cinematográficas de alto nível das peças de William Shakespeare, não se deram, o que abriu caminho para essa presença de Clark quase magnânima ao lado da atriz.

Michelle Williams não se parece muito com Marilyn, mas o que importa é que está muito bem no papel, por incrível que pareça, economizando traços, e não alardeando as caras, bocas e o modo de andar, extremamente característico, de Marilyn Monroe.

Bom filme de Simon Curtis, que sabe muito bem ajustar os tempos e esgrimir, com um toque de criatividade, que se percebe na montagem rápida e fluente do filme, os embates (não apenas com Olivier) nos bastidores de O Príncipe Encantado.

A seguir, veja algumas personalidades filtradas pela lente do cinema:

Meryl Streep brilha como a valente Margart Thatcher, em A Dama de Ferro, de Phyllida Lloyd. O papel lhe valeu o Oscar de melhor atriz este ano em que a própria Michelle Williams concorria como Marilyn

Meryl Streep

Margareth Tatcher
Anthony Hopkins caracterizado como o cineasta Alfred Hitchcock para o filme Hitchcock, que estreia em 2013. Dirigido por Sacha Gervasi, mostra os bastidores de Psicose (1960), realizado pelo mestre do suspense com poucos recursos e que acabou se tornando seu maior sucesso

Anthony Hopkins Alfred Hitchcock

Benicio Del Toro vive o guerrilheiro Ernesto “Che” Guevara em filme monumental, dividido em duas partes, Che e Che 2 – A Guerrilha (2008), dirigido por Steven Soderbergh. O filme foi exibido em primeira mão no Festival de Cannes

Benicio Del ToroChe Guevara

Nicole Kidman também ganhou o Oscar de melhor atriz por viver a escritora Virginia Woolf, autora de Mrs. Dalloway, em As Horas (2001), de Stephen Daldry, que reunia no elenco Meryl Streep e Julianne Moore

Nicole Kidman - pontocedecinema.blog.br

Virginia Woolf - pontocedecinema.blog.br

Robert Downey Jr. encarnou Chaplin, em 1991, em filme de mesmo nome, dirigido por Richard Attenborough. O filme retrata o gênio do cinema desde a infância conturbada até o recebimento de um Oscar Especial

Robert Downey Jr
Chaplin

Dez anos antes de Chaplin, o próprio Attenborough revelou Ben Kingsley, que ganhou o Oscar de melhor ator ao interpretar Gandhi no épico monumental de grande sucesso premiado ainda melhor filme e melhor diretor

Ben KingsleyMahatma Gandhi

Em 1982, Ingrid Bergman despediu-se da vida e das telas ao interpretar a ex-primeira-ministra de Israel Golda Meir, em A Woman Called Golda, de Alan Gibson, feito para a televisão

IngridGolda Meir

E Charles Chaplin, o genial criador de Carlitos, impagável, satirizou o nazismo e o fascismo, em 1940, em O Grande Ditador, ao encarnar o ditador de uma nação fictícia chamada Tomânia, em alusão a Hitler

Chaplin e Hitler