Django Livre e As Aventuras de Pi são melhores, mas o filme do Oscar pode ser Argo ou Lincoln

Argo - pontocedecinema.blog.br

Argo, de Ben Affleck, pode bater Lincoln e se tornar o vencedor do Oscar de melhor filme, no 85º prêmio da Academia

Então está combinado: Django Livre é o melhor entre os candidatos ao Oscar principal, cuja cerimônia acontece amanhã (24/2), em Los Angeles. Polêmico, cínico e debochado, o filme de Quentin Tarantino, entretanto, dificilmente receberá algum prêmio de relevo. Entre os meus favoritos, mais fácil seria a estatueta ir para As Aventuras de Pi, de Ang Lee.

Mas a tendência é que se consagre Argo, de Ben Affleck, thriller político sobre o resgate de seis diplomatas americanos refugiados na casa do embaixador canadense, em 1979, no Irã convulsionado após a tomada do poder pelo aiatolá Khomeini, ou (mais ainda) Lincoln, de Steven Spielberg, que relata a luta do presidente Abraham Lincoln para a aprovação de emenda à Constituição, que, enfim, resultou na abolição da escravatura nos Estados Unidos.

Se os filmes de Affleck e Spielberg vencerem – um ou outro -, não será um vexame, claro. Amor já fez o máximo: dirigido por um austríaco e de capital majoritariamente francês, foi indicado a cinco estatuetas. É o favorito como estrangeiro e tem grandes chances ainda na categoria melhor atriz: Emmanuelle Riva. O filme de Michael Haneke ganhou a Palma de Ouro em Cannes e acaba de se consagrar no César, o prêmio máximo da França. Impressionante, desesperançado, causa alguma rejeição pelo corte abrupto, tumular.

Não vejo qualidades em Os Miseráveis, de Tom Hooper, e acho que o melhor do filme está nos atores, sobretudo Anne Hathaway, que brilha em curta presença, e concorre a melhor coadjuvante, mas encontra páreo duro em Sally Field, por Lincoln, e Helen Hunt, por As Sessões. Aliás, é bom dizer, o filme menosprezado de Ben Lewin é melhor do que muitos que estão aí na cabeça.

As Sessões foge ao corte edificante de filmes de mutilados que concorrem e sempre se dão bem no Oscar. Um primor em concisão e ironia, impregna-se do ânimo de seu protagonista, o poeta paralisado pela poliomielite que, antes de contratar Hunt como sua terapeuta sexual, vai logo dizendo: “Acredito em um deus com humor negro que nos criou a sua imagem e semelhança”. Deveria estar como indicado na categoria principal.

Somadas todas as grandes intenções do cinzento e pretensioso A Hora Mais Escura, em seu relato de documentário fake quase interminável na caçada a Osama bin Laden, acho mesmo que o inferno se encheu de Kathryn Bigelow, que já fez muito ao ganhar como melhor diretora com Guerra ao Terror, o grande vencedor, com seis prêmios, na disputa em 2010. Não significa que seja uma zebra. Muitos gostam e o filme pode ganhar bons prêmios.

O Lado Bom da Vida não tem chances como melhor filme, embora a princípio seja simpático. Sua maior representação é Jennifer Lawrence, no papel da garota aloprada que acaba conquistando o amor do não menos desajustado personagem de Bradley Cooper. Mas ela tem contra si o elogiado trabalho de Jessica Chastain, em A Hora Mais Escura, que não me afaga, Naomi Watts, em O Impossível, e, sobretudo, Emmanuelle Riva, por Amor.

A menina Quvenzhané Wallis, por Indomável Sonhadora, corre por fora. Mas o filme de Benh Zeitlin, um rapaz de 30 anos que debuta na tela, é um cuidadoso painel sobre a meninice marcada diante das impressões que o insensato e grandioso mundo lhe causa. Bem que poderia virar o jogo e ser aquela zebra toda, né? Ao se encaminhar para o final, o filme fica meio destrambelhado. No todo, é surpreendente. Um desenho fantástico e sublime de profunda expressão pictórica. Não sei por que, me lembrei de Ralé (1957) e Dodeskaden (1970), filmes de Kurosawa que não vejo há muitos anos.

No mais, façam suas apostas:

Melhor Filme
Amor
Argo
Indomável Sonhadora
Django Livre
Os Miseráveis
As Aventuras de Pi
Lincoln
O Lado Bom da Vida
A Hora Mais Escura

Melhor Diretor
Michael Haneke, por Amor
Benh Zeitlin, por Indomável Sonhadora
Ang Lee, por As Aventuras de Pi
Steven Spielberg, por Lincoln
David O. Russell, por O Lado Bom da Vida

Melhor Ator
Bradley Cooper, por O Lado Bom da Vida
Daniel Day-Lewis, por Lincoln
Hugh Jackman, por Os Miseráveis
Joaquin Phoenix, por O Mestre
Denzel Washington, por Flight

Melhor Atriz
Jessica Chastain, por A Hora Mais Escura
Jennifer Lawrence, por O Lado Bom da Vida
Emmanuelle Riva, por Amor
Quvenzhané Wallis, por Indomável Sonhadora
Naomi Watts, por O Impossível

Melhor Ator Coadjuvante
Alan Arkin, por Argo
Robert De Niro, por O Lado Bom da Vida
Philip Seymour Hoffman, por O Mestre
Tommy Lee Jones, por Lincoln
Christoph Waltz, por Django Livre

Melhor Atriz Coadjuvante
Amy Adams, por O Mestre
Sally Field, por Lincoln
Anne Hathaway, por Os Miseráveis
Helen Hunt, por The Sessions
Jacki Weaver, por O Lado Bom da Vida

Melhor Roteiro Adaptado
Argo
Indomável Sonhadora
As Aventuras de Pi
Lincoln
O Lado Bom da Vida

Melhor Roreiro Original
Amor
Django Livre
Flight
Moonrise Kingdom
A Hora Mais Escura

Melhor Fotografia
Anna Karenina
Django Livre
As Aventuras de Pi
Lincoln
007 – Operação Skyfall

Melhor Direção de Arte
Anna Karenina
O Hobbit: Uma Jornada Inesperada
Os Miseráveis
As Aventuras de Pi
Lincoln

Melhor Filme em Língua Estrangeira
Amor (Áustria)
Kon-Tiki (Noruega)
No (Chile)
O Amante da Rainha (Dinamarca)
War Witch (Canadá)

Melhor Animação
Valente
Frankenweenie
ParaNorman
Piratas Pirados
Detona Ralph

Melhor Figurino
Anna Karenina
Os Miseráveis
Lincoln
Espelho, Espelho meu
Branca de Neve e o Caçador

Melhor Documentário (longa-metragem)
5 Broken Cameras
The Gatekeepers
How to Survive a Plague
The Invisible War
Searching for Sugar Man

Melhor Documentário (curta-metragem)
Inocente
Kings Point
Mondays at Racine
Open Heart
Redemption

Melhor Edição
Argo
As Aventuras de Pi
Lincoln
O Lado Bom da Vida
A Hora Mais Escura

Melhor Maquiagem
Hitchcock
O Hobbit: Uma Jornada Inesperada
Os Miseráveis

Melhor Trilha Sonora Original
Anna Karenina
Argo
As Aventuras de Pi
Lincoln
007 – Operação Skyfall

Melhor Canção Original
Before My Time, de Chasing Ice
Everybody Needs A Best Friend, de Ted
Pi’s Lullaby, de As Aventuras de Pi
Skyfall, de 007- Operação Skyfall
Suddenly, de Os Miseráveis

Melhor Curta-Metragem de Animação
Adam and Dog
Fresh Guacamole
Head over Heels
Maggie Simpson in “The Longest Daycare”
Paperman

Melhor Curta-Metragem
Asad
Buzkashi Boys
Curfew
Death of a Shadow (Dood van een Schaduw)
Henry

Melhor Edição de Som
Argo
Django Livre
As Aventuras de Pi
007 – Operação Skyfall
A Hora Mais Escura

Melhor Mixagem de Som
Argo
Os Miseráveis
As Aventuras de Pi
Lincoln
007 – Operação Skyfall

Melhores Efeitos Especiais
O Hobbit: Uma Jornada Inesperada
As Aventuras de Pi
Os Vingadores
Prometheus
Branca de Neve e o Caçador