Breno Silveira mantém-se em linha tênue e discreta em Gonzaga – De Pai Para Filho

Gonzaga - De Pai para Filho - pontocedecinema.blog.br

GONZAGA -DE PAI PARA FILHO – Breno Silveira está se tornando especialista em relações familiares – de pai para filho (ou filhos). Incursionou pela vida dos sertanejos Zezé e Luciano, passou por um encontro inusitado entre um garoto em busca do pai pelas estradas brasileiras, ao som de Roberto Carlos, e agora passa em revista a relação tumultuada entre Luiz Gonzaga, o Rei do Baião, e Gonzaguinha.

Ok. Gonzaga – De Pai Para Filho é um filme digno. Emotivo, feito para agradar ao grande público, mas o diabo é que Silveira, como em Dois Filhos de Francisco e À Beira do Caminho, mantém-se na superfície, em uma linha tênue e discreta, sem revelar qualquer ousadia na inverstigação das turbulências que marcaram a vida de um e de outro cinebiografado.

Gonzaguinha, que morreu de acidente de carro em 1991, queixava-se da ausência do pai. Gonzagão, morto no final dos anos 80, dizia que a carreira o limitava. Mas sempre pairou a suspeita de que o Rei do Baião era estéril. Está tudo lá, no filme, que marca o encontro de ambos na cidade natal do pai, Exu (Pernambuco), no início dos anos 80.

Muita roupa suja terá que ser lavada em um recuo de tempo até os anos 20 do século passado, onde o filme vai buscar o fio narrativo, flagrando a adolescência do autor de Asa Branca, em idas e vindas que só poderiam resultar em um momento de redenção. É o ponto inicial do filme. É quando Gonzaguinha e Gonzagão finalmente se acertam e saem em turnê espetacular. “Minha vida é andar por esse país…”

Lançado este ano, À Beira do Caminho, já disse, é um filme em linha reta, porque, embora em sua cruzada determinante em mergulhar em estradas em direção ao sul do país, pouco cabe em contundência ao abordar a história sinuosa de um menino que encontra um verdadeiro pai no caminhoneiro ao qual impõe sua presença como caroneiro até São Paulo.

Gonzaga – De Pai Para Filho não escapa à sorte. E Breno Silveira, só para não fugir ao clichê, permanece em sua zona de conforto.

Ficha Técnica
Diretor: Brano Silveira
Elenco: Adelio Lima, Chambinho do Acordeon, Land Vieira, Julio Andrade, Giancarlo di Tomazzio, Alison Santos, Nanda Costa, Silvia Buarque, Luciano Quirino, Claudio Jaborandy, Cyria Coentro, Olivia Araújo, Zezé Motta, João Miguel.
Produção: Breno Silveira, Marcia Braga, Eliana Soárez
Roteiro: Patricia Andrade
Fotografia: Adrian Teijido
Trilha Sonora: Berna Ceppas
Ano: 2012
Classificação: 12 anos