Amanhecer 2 estreia em mais de mil salas de cinema no Brasil, mas nem tudo está perdido

A Saga Crepúsculo: Amanhecer Parte 2

Kristen Stewart é Bella Swan em Amanhecer Parte 2, de Bill Condon, mais um capítulo da saga Crepúculo

A estreia de A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2 domina o circuito, ocupando mais da metade das salas de exibição do país. Cada época com seus fenômenos (este é um dos mais fracos), alistando em regimentos camadas de adolescentes, agora, sentinelas do amor de Bella e Edward.

Mas nem tudo está perdido. Há várias opções entre as estreias. Especial atenção para Em Nome de de Deus, de Brillante Mendoza, 7 Dias em Havana, dirigido por vários cineastas, E Agora, Aonde Vamos?, de Nadine Labaki.

Cosmópolis, de David Cronenberg, tem uma carreira comercial estranha: passa somente às terças e quintas-feiras no Cinemark. Era Uma Vez Eu, Verônica, de Marcelo Gomes, premiado no Festival de Brasília, entra em pré-estreia.

#Leia a seguir as sinopses, conforme enviadas pelos exibidores, e veja os trailers dos filmes. Para saber mais sobre as estreias e pré-estreias, os filmes que continuam em cartaz, exibições e mostras especiais, além do horário, consulte Em cartaz, ao lado.

ESTREIAS

5X Pacificação (5X Pacificação)
De Cadu Barcellos, Luciano Vidigal, Rodrigo Felha e Wagner Novais. Brasil, 2012. 10 anos. Apresenta o processo de implantação de Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) no Rio de Janeiro, dividido em cinco episódios. Em Morro, os habitantes de comunidades que já possuem UPPs instaladas entram em confronto com pessoas que vivem em comunidades ainda não atendidas por elas. Em Polícia é abordada a preparação de novos policiais para que possam trabalhar nas UPPs e prestar apoio à população local. Em Bandido, vários ex-traficantes contam suas histórias e a tentativa de reintegração à sociedade, a partir de um programa de empregabilidade realizado pela sociedade civil. Em Asfalto, os vizinhos de comunidades pacificadas expressam sua opinião, analisando também as consequências da implementação das UPPs para o Rio de Janeiro como um todo. Em Complexo é abordado o processo da invasão do Complexo do Alemão, realizado pelo BOPE e a polícia em 2010.

7 DIAS EM HAVANA (7 DÍAS EM LA HAVANA)
De Laurent Cantet, Benicio Del Toro, Julio Medem, Gaspar Noé, Elia Suleiman, Juan Carlos Tabío e Pablo Trapero. França/ Espanha, 2012. 14 anos. Com Josh Hutcherson, Daniel Brühl e Emir Kusturica. Havana é uma cidade em processo de transformação. Este momento foi o que atraiu sete cineastas de diferentes estilos e nacionalidades a contar pequenas histórias no cenário cujo magnetismo ultrapassa os limites geográficos. Um jovem turista americano que tem como guia um taxista, uma cantora que está indecisa entre seguir carreira na Espanha ou permanecer em Cuba com seu namorado ou uma história onde o cineasta Emir Kusturica interpreta a si mesmo. Tudo isso é possível em Havana.

A SAGA CREPÚSCULO: AMANHECER – PARTE 2 (The Twilight Saga: Breaking Dawn – Part 2)
De Bill Condon. EUA, 2012. 12 anos. Com Kristen Stewart, Robert Pattinson, Taylor Lautner, Kellan Lutz, Nikki Reed, Ashley Greene, Jackson Rathbone e Anna Kendrick. A felicidade dos recém-casados Bella Swan e Edward Cullen é interrompida quando uma série de traições e desgraças ameaça destruir o mundo deles. Bella tem que aprender a lidar com sua nova vida de vampira e curtir a filha, Renesmee. Porém, o final feliz não está tão perto quanto parece. Quando o nascimento da menina chega ao conhecimento dos Volturi, uma batalha sangrenta se inicia.

COSMÓPOLIS (Cosmopolis)
De David Cronenberg. França/ Itália/ Canadá/ Portugal, 16 anos. Com Robert Pattinson, Sarah Gadon, Samantha Morton, Juliette Binoche, Jay Baruchel e Paul Giamatti. Eric Packer (Robert Pattinson) é um milionário egocêntrico que acordou com uma obsessão: cortar o cabelo no seu barbeiro, localizado do outro lado da cidade. Para isso, o gênio de ouro das finanças terá de atravessar, em sua limousine, uma caótica Nova York que irá revelar uma ameaça a seu império a cada quilômetro percorrido.

E AGORA, AONDE VAMOS? (Et maintenant, on va où?)
De Nadine Labaki. França, 2011. 14 anos. Com Nadine Labaki, Claude Baz Moussawbaa, Layla Hakim e Antoinette El-Noufaily. Num país castigado pela guerra, mulheres unidas por uma amizade inalterável estão prontas para proteger suas famílias. Mas, quando os eventos tomam um caminho trágico, até onde estarão dispostas a ir para evitar perder quem lhes resta?

EM NOME DE DEUS (Captive)
De Brillante Mendoza. França/ Alemanha/ALE/ Reino Unido, 2011. 14 anos. Com Isabelle Huppert, Mercedes Cabral, Maria Isabel Lopez, Joel Torre. Baseado em um fato real, o filme mostra o período em que Thérèse Bourgoin, funcionária de uma organização humanitária nas Filipinas, é sequestrada por engano junto com uma colega por um grupo extremista islâmico.

MUITO ALÉM DO PESO
De Estela Renner. Brasil, 2012. Livre. Pela primeira vez na história da raça humana, crianças apresentam sintomas de doenças de adultos. Problemas de coração, respiração, depressão e diabetes tipo 2. Todas têm em sua base a obesidade. O documentário discute por que 33% das crianças brasileiras pesam mais do que deviam. As respostas envolvem o governo, os pais, as escolas e a publicidade. Com histórias reais e alarmantes, o filme promove uma discussão sobre a obesidade infantil no Brasil e no mundo.

PRÉ-ESTREIAS

ERA UMA VEZ EU, VERÔNICA
De Marcelo Gomes. BRA, 12. 1:30. 18 anos. Com Hermila Guedes, João Miguel, W. J. Solha, Renata Roberta e Inaê Veríssimo Recife. Verônica vive uma fase de transição. Sem tempo para a agitada vida que tinha quando era estudante, ela agora se dedica ao início da vida profissional em um ambulatório de hospital público. As condições são precárias e o cotidiano muito cansativo. Uma noite, ao voltar para casa, ela resolve usar o gravador para falar de seus próprios problemas. O início segue o melhor estilo dos contos de fadas, com o clássico “era uma vez”. Do mesmo diretor de Cinema, Aspirinas e Urubus e Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo. Em 2012, no Festival de Brasília, ganhou os prêmios de Melhor Filme (voto do júri oficial e júri popular), Melhor Ator Coadjuvante (W. J. Solha), Melhor Roteiro, Melhor Fotografia, Melhor Trilha Sonora e Prêmio Vagalume de Melhor Longa-Metragem (júri de deficientes visuais).