A Busca, de Luciano Moura, se vale da estrutura do road movie para definir ajuste de um homem consigo mesmo

A Busca - pontocedecinema.blog.br

Wagner Moura interpreta o médico Theo, que parte em busca do filho, mas em sentido de reconciliação com o passado

Estreia do paulista Luciano Moura, com orçamento de R$ 6,1 milhões e chegando aos cinemas com mais de 400 cópias, A Busca mira um ponto mágico entre o cinema autoral, prestigiado por críticos e cinéfilos, e o popular desqualificado. O filme quer ser bem visto, sem cair na asneira do grosso da produção que normalmente ultrapassa a barreira do milhão de espectadores.

O baiano Wagner Moura interpreta o médico Theo, cuja crise com a mulher, Branca (Mariana Lima), se reflete no filho adolescente, Pedro (Brás Moreau Antunes). A busca é a viagem desse homem, cruzando a Região Sudeste do país, em uma tentativa desesperada de reaver o rapaz, que some de casa a pretexto de passar o fim de semana fora com um amigo.

Traçado do modelo clássico estrutural do road movie – o chamado filme de estrada que muitas vezes nos leva a lugar nenhum, mas quer mesmo definir algum ajuste do homem consigo mesmo – o objetivo, ali, a princípio, é o resgate de um modelo familiar.

Theo se dilacera. Não entende mesmo por que tudo nele, com Branca e Pedro, está de ponta-cabeça. E parte em uma jornada em direção ao próprio pai, interpretado por Lima Duarte, ao recolhimento dos cacos que se perderam no tempo, para apenas assim reverter a severidade de hoje com o filho e a mulher.

Confesso que em um primeiro momento, quando vi há algumas semanas, achei o filme péssimo. Considerei de forma excessiva o roteiro meio frouxo, que deveria ser melhor trabalhado. Acredito ainda que há alguns exageros de interpretação e com o uso da câmera na mão para corroborar com a crise de Theo. Mas o recado está dado por Luciano Moura, sem grandes pretensões.

É a estreia que chama a atenção, com as ressalvas de que ainda não vi A Fuga, de Stefan Ruzowitzky, e Super Nada, de Rubens Rewald, dois filmes para se levar em conta.

#Leia a seguir as sinopses, conforme enviadas pelos exibidores, e veja os trailers dos filmes. Para saber mais sobre as estreias e pré-estreias, os filmes que continuam em cartaz, exibições e mostras especiais, além do horário, consulte Em cartaz, ao lado.

ESTREIAS

A BUSCA (A Busca)
Luciano Moura. Brasil, 2011. 12 anos. Com Wagner Moura, Lima Duarte, Brás Antunes e Mariana Lima. Theo Gadelha (Wagner Moura) e Branca (Mariana Lima) são casados e trabalham como médicos. O casal tem um filho, Pedro (Brás Antunes), que desaparece quando está perto de completar 15 anos. Para piorar a situação, Theo fica sabendo que Branca quer se separar dele. Theo sai em busca do filho sumido e aproveita a viagem para se redescobrir.

A FUGA (Deadfall)
De Stefan Ruzowitzky. EUA, 2012. 16 anos. Com Eric Bana, Olivia Wilde, Charlie Hunnam, Sissy Spacek, Kris Kristofferson, Kate Mara e Treat Williams. Em uma pequena cidade canadense, coberta pela neve, Addison (Eric Bana) e Liza (Olivia Wilde) são dois irmãos especializados em roubos. Enquanto ele utiliza sua malícia e engenhosidade, ela investe na sensualidade para driblar os homens que encontra. Logo após roubarem um cassino, eles correm em direção à fronteira, tentando evitar uma perigosa nevasca que se aproxima. Por coincidência, a história dos dois vai cruzar a de Jay (Charlie Hunnam), ex-boxeador que acaba de sair da prisão para encontrar sua mãe (Sissy Spacek) e seu pai (Kris Kristofferson) durante as festas de fim de ano. A interação entre eles vai mudar os planos de todos os envolvidos.

LINHA DE AÇÃO (Broken City)
De Allen Hughes. EUA, 2013. 14 anos. Com Mark Wahlberg, Russel Crowe, Catherine Zeta-Jones e Kyle Chandler. O prefeito de Nova York (Russell Crowe) está desconfiado que sua esposa tem um amante. Ele contrata o ex-policial e detetive particular Billy Taggart (Mark Wahlberg) para investigá-la e acaba confirmando o caso amoroso. Mas quando o amante é assassinado, Billy encontra-se em uma situação delicada, que o envolve em um escândalo muito maior do que se poderia imaginar.

SUPERNADA
De Rubens Rewald. Brasil, 2011. 12 anos. Com Marat Descartes, Clarissa Kiste, Jair Rodrigues. Guto é um artista de rua que luta para se estabelecer como ator e ter reconhecido seu talento. Após inúmeros testes, ele finalmente é escalado para um programa semanal de Zeca, comediante de TV e ídolo de Guto. Será que finalmente a sorte de Guto mudará?

PRÉ-ESTREIAS

ATRÁS DA PORTA (Hinter Der Tür)
De István Szabó. Alemanha/ Hungria, 2012. 14 anos. Com Helen Mirren, Martina Gedeck, Károly Eperjes, Gábor Koncz. Jovem escritora, que luta pelo sucesso, contrata uma mulher idosa chamada Emerenc para ser sua empregada. Um drama na vida da escritora faz com que Emerenc revele seu passado traumático, um passado que lança uma luz sobre seu comportamento peculiar. Com Helen Mirren (que interpreta a esposa de Alfred Hitchcock em Hitchcock. Do mesmo diretor de Mephisto.

DEPOIS DE LÚCIA (Después de Lucía)
De Michel Franco. México/ França, 2012. 14 anos. Com Tessa Ia, Gonzalo Vega Jr., Tamara Yazbek, Hernán Mendoza e Monica del Carmen. Após uma tragédia familiar, a jovem Alejandra (Tessa Ia) e o pai, Roberto (Hernán Mendoza), mudam-se do litoral do México para a capital do país, onde tentarão superar o passado e iniciar uma nova vida. Festival de Cannes 2012: Em Prêmio Un Certain Regard.

OS CROODS (The Croods)
De Kirk De Micco e Chris Sanders. EUA, 2013. Livre. Na época pré-histórica de Croodacious, a Mãe Natureza ainda fazia experiências, a fauna e a flora eram muito diferentes de hoje em dia. Neste cenário, um homem das cavernas, líder da sociedade local, deve enfrentar a concorrência com um gênio pré-histórico, descobridor do fogo.